Dinâmica da ”Verdade ou Consequência? “

Dinâmica da ”Verdade ou Consequência?“

Em círculo os participantes devem estar de posse de uma garrafa que deve ficar ao centro.
Ao sinal do Coordenador, alguém gira a garrafa e para quem o bico da garrafa apontar é
perguntado: _Verdade ou Consequência? Caso ele escolha verdade, a pessoa onde o fundo
da garrafa apontou deve perguntar algo e ele obrigatoriamente deve responder a verdade.
Se ele responder consequência deve pagar uma prenda (executar uma tarefa) estipulada
pela pessoa que o fundo da garrafa apontou. A que respondeu gira a garrafa.
Autor: Desconhecido

Dinâmica do “Substantivo”

Dinâmica do “Substantivo”

Em círculo os participantes devem estar de posse de um pedaço de papel e caneta. Cada
um deve escrever um substantivo ou adjetivo ou qualquer estipulado pelo Coordenador, sem
permitir que os outros vejam. Em seguida deve-se passar o papel para a pessoa da direita
para que este represente em forma de mímicas. Podendo representar uma palavra mais fácil,
dividí-la e ajuntar com outra para explicar a real palavra escrita pelo participante, mas é
proibido soltar qualquer tipo de som.
Autor: Desconhecido

Dinâmica do “Rolo de Barbante”

Dinâmica do “Rolo de Barbante”

Em círculo os participantes devem se assentar. O Coordenador deve adquirir anteriormente
um rolo grande de barbante. E o primeiro participante deve, segurando a ponta do barbante,
jogar o rolo para alguém (o coordenador estipula antes ex: que gosta mais, que gostaria
de conhecer mais, que admira, que gostaria de lhe dizer algo, que tem determinada qualidade,
etc.) que ele queira e justificar o porquê ! A pessoa agarra o rolo, segura o barbante e
joga para a próxima. Ao final torna-se uma “teia” grande.
Essa dinâmica pode ser feita com diversos objetivos e pode ser utilizada também em festas
e eventos como o Natal e festas de fim de ano. Ex: cada pessoa que enviar o barbante falar
um agradecimento e desejar feliz festas. Pode ser utilizado também o mesmo formato da
Dinâmica do Presente .

Dinâmica do”Mestre”

Dinâmica do”Mestre”
Em círculo os participantes devem escolher uma pessoa para ser o advinhador. Este deve
sair do local. Em seguida os outros devem escolher um mestre para encabeçar os movimentos/
mímicas. Tudo que o mestre fizer ou disser, todos devem imitar . O advinhador tem 2
chances para saber quem é o mestre. Se errar volta e se acertar o mestre vai em seu lugar.
Esta dinâmica busca a criatividade, socialização, desinibição e a coordenação.

Dinâmica da “Sensibilidade”

Dinâmica da “Sensibilidade”

Dois círculos com números iguais de participantes, um dentro e outro fora. O grupo de dentro
vira para fora e o de fora vira para dentro. Todos devem dar as mãos, sentí-las, tocá-las
bem, estudá-las. Depois, todos do grupo interno devem fechar os olhos e caminhar dentro
do círculo externo. Ao sinal, o Coordenador pede que façam novo círculo voltado para fora,
dentro do respectivo círculo. Ainda com os olhos fechados, proibido abrí-los, vão tocando de
mão em mão para descobrir quem lhe deu a mão anteriormente. O Grupo de fora é quem
deve movimentar-se. Caso ele encontre sua mão correta deve dizer _Esta ! Se for verdade,
a dupla sai e se for mentira, volta a fechar os olhos e tenta novamente.
Obs: Essa dinâmica pode ser feita com outras partes do corpo, ex: Pés, orelha, olhos, joelhos,
etc. Tem o objetivo de melhorar a sensibilidade, concentração e socialização do grupo.
Autor: Desconhecido

Dinâmica do “Escravos de Jó”

Dinâmica do “Escravos de Jó”
Esta dinâmica vem de uma brincadeira popular do mesmo nome, mas que nessa atividade
tem o objetivo de “quebra gelo” podendo ser observado a atenção e concentração dos participantes.
Em círculo, cada participante fica com um toquinho (ou qualquer objeto rígido).
Primeiro o Coordenador deve ter certeza de que todos sabem a letra da música que deve
ser:
Os escravos de jó jogavam cachangá;
os escravos de jó jogavam cachangá;
Tira, põe, deixa o zé pereira ficar;
Guerreiros com guerreiros fazem zigue, zigue zá (Refrão que repete duas vezes)
1º MODO NORMAL:
Os escravos de jó jogavam cachangá (PASSANDO SEU TOQUINHO PARA O OUTRO DA DIREITA);
os escravos de jó jogavam cachangá (PASSANDO SEU TOQUINHO PARA O OUTRO DA DIREITA);
Tira (LEVANTA O TOQUINHO), põe (PÕE NA SUA FRENTE NA MESA), deixa o zé pereira ficar
(APONTA PARA O TOQUINHO NA FRENTE E BALANÇA O DEDO);
Guerreiros com guerreiros fazem zigue (PASSANDO SEU TOQUINHO PARA O OUTRO DA DI-REITA), zigue (VOLTA SEU TOQUINHO DA DIREITA PARA O COLEGA DA ESQUERDA), zá

(VOLTA SEU TOQUINHO PARA O OUTRO DA DIREITA) (Refrão que repete duas vezes).
2º MODO:
Faz a mesma sequência acima só para a esquerda
3º MODO:
Faz a mesma sequência acima sem cantar em voz alta, mas canta-se em memória.
4º MODO:
Faz a mesma sequência acima em pé executando com um pé.
5º MODO:
Faz a mesma sequência acima com 2 toquinhos, um para cada lado.
11. Dinâmica da “Escultura”
Esta dinâmica estimula a expressão corporal e criatividade.
2 x 2 ou 3 x 3, os grupos devem fazer a seguinte tarefa:
Um participante trabalha com escultor enquanto os outro (s) ficam estátua (parados). O escultor
deve usar a criatividade de acordo com o objetivo esperado pelo Coordenador, ou
seja, pode buscar:
-estátua mais engraçada
-estátua mais criativa
-estátua mais assustadora
-estátua mais bonita, etc.
Quando o escultor acabar (estipulado o prazo para que todos finalizem), seu trabalho vai ser
julgado juntamente com os outros grupos. Pode haver premiação ou apenas palmas.
Autor: Desconhecido

Dinâmica do Nome

Dinâmica do Nome

Esta dinâmica propõe um “quebra gelo” entre os participantes. Ela pode ser proposta no
primeiro dia em que um grupo se encontra. É ótima para gravação dos nomes de cada um.
Em círculo, assentados ou de pé, os participantes vão um a um ao centro da roda (ou no
próprio lugar) falam seu nome completo, juntamente com um gesto qualquer . Em seguida
todos devem dizer o nome da pessoa e repetir o gesto feito por ela.
Variação: Essa dinãmica pode ser feita apenas com o primeiro nome e o gesto da pesso,
sendo que todos devem repetir em somatória, ou seja, o primeiro diz seu nome, com seu
gesto e o segundo diz o nome do anterior e gesto dele e seu nome e seu gesto… e assim
por diante. Geralmente feito com grupos pequenos, para facilitar a memorização. Mas poderá
ser estipulado um número máximo acumulativo, por exemplo após o 8º deve começar
um outro ciclo de 1-8 pessoas.
Autor: Desconhecido

Dinâmica do “João Bobo”

Dinâmica do “João Bobo”
Esta dinâmica propõe um “quebra gelo” entre os participantes e também pode ser observado
o nível de confiança que os os participantes têm um no outro:
Formam-se pequenos grupos de 8-10 pessoas. Todos devem estar bem próximos, de ombro-
á-ombro, em um círculo. Escolhem uma pessoa para ir ao centro. Esta pessoa deve fechar
os olhos (com uma venda ou simplesmente fechar), deve ficar com o corpo totalmente
rígido, como se tivesse hipnotizada. As mãos ao longo do corpo tocando as coxas lateralmente,
pés pra frente , tronco reto. Todo o corpo fazendo uma linha reta com a cabeça.
Ao sinal, o participante do centro deve soltar seu corpo completamente, de maneira que
confie nos outros participantes. Estes, porém devem com as palmas das mãos empurrar o
“joão bobo” de volta para o centro. Como o corpo vai estar reto e tenso sempre perderá o
equilíbrio e penderá para um lado. O movimento é repetido por alguns segundos e todos
devem participar ao centro.
Obs: Pode ser feito também na água.
Autor: Desconhecido

Dinâmica do Emboladão

Dinâmica do Emboladão

Esta dinâmica propõe uma maior interação entre os participantes e proporciona observar-se a capacidade de improviso e socialização, dinamismo, paciência e liderança dos integrantes do grupo.
Faz-se um círculo de mãos dadas com todos os participantes da dinâmica.
O Coordenador deve pedir que cada um grave exatamente a pessoa em que vai dar a mão direita e a mão esquerda.
Em seguida pede que todos larguem as mãos e caminhem aleatoriamente, passando uns pelos outros olhando nos olhos (para que se despreocupem com a posição original em que se encontravam). Ao sinal, o Coordenador pede que todos se abracem no centro do círculo”
bem apertadinhos”. Então, pede que todos se mantenham nesta posição como estátuas, e em seguida dêem as mãos para as respectivas pessoas que estavam de mãos dadas anteriormente (sem sair do lugar).
Então pedem para que todos, juntos, tentem abrir a roda, de maneira que valha como regras:
Pular, passar por baixo, girar e saltar.
O efeito é que todos, juntos, vão tentar fazer o melhor para que esta roda fique totalmente aberta.
Ao final, pode ser que alguém fique de costas, o que não é uma contra-regra. O Coordenador parabeniza a todos se conseguirem abrir a roda totalmente!

Obs: Pode ser feito também na água.

Autor: Desconhecido