Dinâmicas para jovens evangélicos

Dinâmicas para jovens evangélicos

 

  1. Nome perdido

 Participantes: Indefinido.

Tempo Estimado: 25 minutos.

Material: Um crachá para cada pessoa do grupo e um saco ou caixa de papelão para colocar todos os crachás.

Descrição: O coordenador devera recolher todos os crachás colocar no saco ou na caixa; misturar bem todos estes crachás, depõe dê um crachá para cada pessoa. Esta deverá encontrar o verdadeiro dono do crachá, em 1 minuto.

Ao final desse tempo, quem estiver ainda sem crachá ou com o crachá errado, azar! Porque terá que pagar uma prenda.

Palavra de Deus:

29 – Então dali buscarás ao SENHOR teu Deus, e o acharás, quando o buscares de todo o teu coração e de toda a tua alma. Deuteronômio 4:29

 

  1. Palavra iluminada

Participantes: 7 a 15 pessoas

Tempo Estimado: Indefinido

Material: Uma vela e trechos selecionados da Bíblia que tratem do assunto a ser debatido.

Observação: Para grupos cujos integrantes já se conhecem, a parte relativa à apresentação pode ser eliminada da dinâmica.

Descrição: A iluminação do ambiente deve ser serena de modo a predominar a luz da vela, que simboliza Cristo iluminando os nossos gestos e palavras. Os participantes devem estar sentados em círculo de modo que todos possam ver a todos. O coordenador deve ler o trecho bíblico inicial e comentá-lo, sendo que a pessoa a sua esquerda deve segurar a vela. Após o comentário do trecho, a pessoa que estava segurando a vela passa a mesma para o vizinho da esquerda e se apresenta ao grupo. Em seguida esta pessoa realiza a leitura de outro trecho da bíblia indicado pelo coordenador e faz seus comentários sobre o trecho. Este processo se realiza sucessivamente até que o coordenador venha a segurar a vela e se apresentar ao grupo. Então, o coordenador lê uma última passagem bíblica que resuma todo o conteúdo abordado nas passagens anteriores. Após a leitura desta passagem, os integrantes do grupo devem buscar a opinião do grupo como um todo, baseado nos depoimentos individuais, sobre o tema abordado. Quando o consenso é alcançado apaga-se à vela. Por último pode-se comentar a importância da Luz (Cristo) em todos os atos de nossas vidas.

Palavra de Deus

17 – De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus. Romanos 10:17

 

  1. Palavra que transforma

Material: uma bolinha de isopor, um giz, um vidrinho de remédio vazio, uma esponja e uma vasilha com água.

Desenvolvimento: Primeiro se explica que a água é a palavra de Deus e que o objeto somos nós, depois se coloca a água na vasilha, e alguém mergulha o isopor, após ver o que ocorre com o isopor, mergulhar o giz, depois a vidro de remédio e por último a esponja.

Então refletimos:

Como a Palavra de Deus age na minha vida?

Eu estou agindo como o isopor que não absorve nada e também não afunda ou aprofunda?

Ou estou agindo como o giz que guarda a água para si sem partilhar com ninguém?

Ou ainda agimos como o vidrinho que tinha água só para passar para os outros, mas sem guardar nada para si mesmo?

Ou agimos como a esponja absorvendo bem a água e mesmo espremendo continuamos com água?

Palavra de Deus:

8 – Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente. Isaías 40:8

24 – Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; Mateus 7:24

16 – Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça; II Timóteo 3:16

 

  1. Minha História de fé

Participantes: Indefinido.

Tempo Estimado: 15 minutos.

Material: lápis ou caneta e uma folha de papel em branco para cada participante.

Descrição: Formar um circulo e entregar uma folha em branco para cada participante, juntamente caneta ou lápis.

O participante deverá contar como conheceu a Deus e a igreja que frequenta. E terá somente 5 minutas para isso e mais 1 minuto será acrescentado para concluir.

Cada participante deverá ler sua história de fé e os demais poderão fazer perguntas sobre como tudo ocorreu.

Palavra de Deus:

16 – Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda. João 15:16

 

  1. Pessoas balões

Participantes: Indefinido.

Tempo Estimado: 15 minutos.

Material: Um balão cheio e um alfinete.

Descrição: O coordenador deve explicar aos participantes por que certas pessoas em determinados momentos de sua vida, se parecem com os balões:

Alguns estão aparentemente cheios de vida, mas por dentro nada mais têm do que ar;

Outros parecem ter opinião própria, mas se deixam levar pela mais suave brisa;

Por fim, alguns vivem como se fossem balões cheios, prestes a explodir; basta que alguém os provoque com alguma ofensa para que (neste momento estoura-se um balão com um alfinete) “estourem”.

Pedir que todos deem sua opinião e falem sobre suas dificuldades em superar críticas e ofensas.

Palavra de Deus:

21 – E eu darei graça a este povo aos olhos dos egípcios; e acontecerá que, quando sairdes, não saireis vazios, Êxodo 3:21

  1. Pessoas balões 2

Participantes: Indefinido.

Tempo Estimado: 15 minutos.

Material: Balões e alfinetes.

Descrição: O coordenador deve explicar aos participantes para que encham seus balões e peguem um alfinete.

Depois diz a seguinte frase, esses balões são os sonhos de vocês eu defendo os meus sonhos e espero que vocês defendam os de vocês. Neste momento ele deve correr e proteger seu balão.

A tendência natural e que as pessoas saiam alfinetando os balões uns dos outros, Após 1 minuto pedir para todos pararem.

Reúna o grupo e pergunte: Porque você estourou os sonhos dos seus irmãos? Defender seus sonhos não significa acabar com os sonhos dos que os cercam. Quantas vezes cada um de nós se importando somente com nós mesmo saímos por ai acabando com o sonho alheio. Esta não é a vontade do seu criador. Deveríamos estar unidos cuidando dos sonhos uns dos outros.

Deixe que cada um se expresse.

Palavra de Deus:

18 – Não te vingarás nem guardarás ira contra os filhos do teu povo; mas amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o SENHOR. Levítico 19:18

 

  1. Pizza dos nossos valores

Participantes: 7 a 15 pessoas

Tempo Estimado: 30 minutos

Material: Lápis e papel para os integrantes.

Descrição: O coordenador propõe temas a serem debatidos pelo grupo. Cada integrante é motivado para que defina qual a importância dos diferentes temas para si mesmo. Dentre os temas propostos pode-se ter temas como: drogas, sexo, namoro, política, amizade, espiritualidade, liturgia, família, educação, saúde, segurança, esportes, etc. Os temas devem ser identificados por um número ou uma letra (de preferência a primeira letra do tema). Em seguida, cada integrante deve desenhar um círculo e dividi-lo de acordo com a proporção de importância que tem para com cada tema. As divisões devem ser identificadas pelos números ou letras definidos anteriormente para os temas. Temas se nenhuma importância para o integrante podem ser simplesmente desconsiderados pelo mesmo. Então, cada integrante apresenta seu desenho ao grupo comentando suas opções. Em contrapartida, o grupo pode opinar sobre estas opções e se as mesmas correspondem ao que o grupo esperava do integrante.

Palavra de Deus:

37 – E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.38 – Este é o primeiro e grande mandamento.39 – E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Mateus 22:37-39

 

  1. Presente da alegria

Participantes: 3 a 10 pessoas

Tempo: 5 minutos por participante;

Material: lápis e papel;

Descrição: O coordenador forma subgrupos e fornece papel para cada participante;

A seguir, o coordenador fará uma exposição, como segue: “muitas vezes apreciamos mais um presente pequeno do que um grande. Muitas vezes ficamos preocupados por não sermos capazes de realizar coisas grandes e negligenciamos de fazer coisas menores, embora de grande significado. Na experiência que segue, seremos capazes de dar um pequeno presente de alegria para cada membro do grupo”;

Prosseguindo, o coordenador convida todos os participantes para que escrevam uma mensagem para cada membro do grupo. A mensagem visa provocar em cada pessoa sentimentos positivos em relação a si mesmo;

O coordenador apresenta sugestões, procurando induzir a todos a mensagem para cada membro do grupo, mesmo para aquelas pessoas pelas quais não sintam grande simpatia.

Na mensagem dirá:

  1. Procure ser específico, dizendo, por exemplo: “gosto do seu modo de rir toda vez que você se dirige a uma pessoa”, em vez de: “eu gosto de sua atitude”, que é mais geral;
  2. Procure escrever uma mensagem especial que se enquadre bem na pessoa, em vez de um comentário que se aplique a várias pessoas;
  3. Inclua todos, embora não conheça suficientemente bem. Procure algo de positivo em todos;
  4. Procure dizer a cada um o que observou dentro do grupo, seus pontos altos, seus sucessos, e faça a colocação sempre na primeira pessoa, assim: “eu gosto” ou “eu sinto”;
  5. Diga ao outro o que encontra nele que faz você ser mais feliz;

Os participantes poderão, caso queiram, assinar a mensagem;

Exemplos:

Carlos

Você é uma pessoa brigalhona e sua alegria contagia a todos nós, obrigado por nos fazer feliz.

Maria

Sua timidez nos faz pensar e dosar nossas palavras pois Deus te fez delicada como uma flor e seu perfume nos traz paz.

Assinado: Arnaldo

Escritas às mensagens, serão elas dobradas e colocadas numa caixa para ser recolhidas e lida em voz alta para o grupo.

Palavra de Deus:

39 – E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Mateus 22:39

 

  1. Meu Presente para um amigo

Participantes: 10 a 30 pessoas

Tempo Estimado: 30 minutos

Material: Lápis e papel para os integrantes

Descrição: O coordenador divide o grupo em subgrupos de quatro a seis integrantes e, em seguida, expõe o seguinte: “Muitas vezes apreciamos mais um presente pequeno do que um grande. Muitas vezes ficamos preocupados por não sermos capazes de realizar coisas grandes e negligenciamos de fazer coisas menores, embora de grande significado. Na experiência que segue, seremos capazes de dar um pequeno presente de alegria para alguns integrantes do grupo”.Prosseguindo, o coordenador convida os integrantes para que escrevam mensagens para todos os integrantes de seu subgrupo. As mensagens devem ser da seguinte forma:

  1. a) Provocar sentimentos positivos no destinatário com relação a si mesmo;
  2. b) Ser mais específicas, descrevendo detalhes próprios da pessoa ao invés de características muito genéricas;
  3. c) Indicar os pontos positivos da pessoa dentro do contexto do grupo;
  4. d) Ser na primeira pessoa;
  5. e) Ser sinceras;
  6. f) Podem ser ou não assinadas, de acordo com a vontade do remetente.

As mensagens são dobradas e o nome do destinatário é colocado do lado de fora. Então elas são recolhidas e entregues aos destinatários. Depois que todos tiverem lido as mensagens, segue-se à conclusão da dinâmica com um debate sobre as reações dos integrantes.

Palavra de Deus:

14 – Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Gálatas 5:14

 

  1. Riqueza dos nomes

Participantes: Indefinido.

Tempo Estimado: 30 minutos.

Material: Tiras de papel ou cartolina, pincel atômico ou caneta hidrográfica, cartaz para escrever as palavras montadas ou quadro-negro.

Descrição: Os participantes de um grupo novo são convidados pelo coordenador a andar pela sala se olhando, enquanto uma música toca.

Quando o som para, escolher um par e ficar ao lado dele (a). Cumprimentar-se de alguma forma, com algum gesto (aperto de mão, abraço, beijo no rosto e etc.).

Colocar novamente os pares a andar pela sala (desta vez são os dois andando juntos). Assim que para a música, devem se associar a outro par (fica o grupo com quatro pessoas).

Cada participante do grupo composto de quatro pessoas recebe uma cartolina e coloca nela seu nome (tira de papel também serve).

Após mostrar o nome para os outros três companheiros, os participantes deste pequeno grupo juntarão uma palavra com estas sílabas (servem apenas as letras).

Exemplo: Anderson + lio + DAiane = Ajuda

Airton + RoMIlton + ZAira + SanDEr = Amizade

Colocar a palavra formada num quadro-negro ou cartolina e o grupo falará sobre ela e sua importância na vida.

Palavra de Deus:

1 – OH! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união. Salmos 133:1

 

  1. Salmo da vida

Participantes: 10 a 20 pessoas

Tempo Estimado: 45 minutos

Material: Lápis e papel para os integrantes.

Descrição: Cada integrante deve escrever a história de sua vida, destacando os acontecimentos marcantes. O coordenador deve alertar o grupo de que experiências de dor e sofrimento podem ser vistas como formas de crescimento e não simples acontecimentos negativos. Em seguida, os integrantes devem se perguntar qual foi à experiência de Deus que fizeram a partir dos acontecimentos descritos ou no decorrer de suas vidas. Depois devem escrever o salmo da vida, da sua vida, uma oração de louvor, agradecimento, pedido de perdão e/ou clamor. O desenvolvimento dos salmos deve-se realizar em um ambiente de paz e reflexão. Então, os integrantes devem ser divididos em subgrupos de três ou quatro pessoas onde cada integrante deve partilhar sua oração. Depois o grupo é reunido e quem quiser pode apresentar sua oração ao grupo. Por último é realizado um debate sobre os objetivos da dinâmica e a experiência que a mesma trouxe para os integrantes. Algumas questões que podem ser abordadas: Como se sentiu recordando o passado? O que mais chamou a atenção? Qual foi a reação para com acontecimentos tristes? Como tem sido a experiência com Deus? Qual a importância Dele em nossas vidas? Pode-se ainda comparar os salmos redigidos com os salmos bíblicos.

Palavra de Deus:

3 – Ouvi, reis; dai ouvidos, príncipes; eu, eu cantarei ao SENHOR; salmodiarei ao SENHOR Deus de Israel. Juízes 5:3

 

  1. Semeando a amizade

Participantes: 7 a 15 pessoas

Tempo Estimado: 30 minutos

Material: Três vasos, espinhos, pedras, flores e grãos de feijão.

Descrição: Antes da execução da dinâmica, deve-se realizar a leitura do Evangelho de Mateus, capítulo 13, versículos de 1 a 9. Os espinhos, as pedras e as flores devem estar colocados cada qual em um vaso diferente. Os vasos devem estar colocados em um local visível a todos os integrantes. Nesta dinâmica, cada vaso representa um coração, enquanto que grãos de feijão, representam as sementes descritas na leitura preliminar. Então, cada integrante deve semear um vaso, que simboliza uma pessoa que deseje ajudar, devendo explicar o porquê de sua decisão. Pode-se definir que as pessoas citadas sejam outros integrantes ou qualquer pessoa. Além disso, se o tempo permitir, pode-se utilizar mais que uma semente por integrante.

Palavra de Deus:

1 – TENDO Jesus saído de casa, naquele dia, estava assentado junto ao mar;

2 – E ajuntou-se muita gente ao pé dele, de sorte que, entrando num barco, se assentou; e toda a multidão estava em pé na praia.

3 – E falou-lhe de muitas coisas por parábolas, dizendo: Eis que o semeador saiu a semear.

4 – E, quando semeava, uma parte da semente caiu ao pé do caminho, e vieram as aves, e comeram-na;

5 – E outra parte caiu em pedregais, onde não havia terra bastante, e logo nasceu, porque não tinha terra funda;

6 – Mas, vindo o sol, queimou-se, e secou-se, porque não tinha raiz.

7 – E outra caiu entre espinhos, e os espinhos cresceram e sufocaram-na.

8 – E outra caiu em boa terra, e deu fruto: um a cem, outro a sessenta e outro a trinta.

9 – Quem tem ouvidos para ouvir, ouça. Mateus 13:1-9

 

  1. Experimentando o Espírito Santo

Participantes: indefinido.

Tempo Estimado: 15 minutos.

Material: Uvas ou balas .

Descrição: O coordenador deve falar um pouco do Espírito Santo para o grupo. Depois o coordenador da dinâmica deve mostrar o cacho de uva e perguntar a cada um como ele acha que esta o sabor destas uvas.

Obviamente alguns irão descordar a respeito do sabor destas uvas, como: acho que esta doce, que esta azeda, que esta suculenta etc.

Após todos terem respondido o coordenador entrega uma uva para cada um comer. Então o coordenador deve repetir a pergunta (como esta o sabor desta uva?).

Mensagem: Só saberemos o sabor do Espírito Santo se provarmos e deixarmos agir em nos.

Palavra de Deus:

7 – Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. Mateus 7:7

 

  1. Terremoto

Participantes: Devem ser múltiplos de três e sobrar um. Ex: 22 (7×3 = 21, sobra um).

Tempo Estimado: 40 minutos.

Material: Para essa dinâmica só é necessário um espaço livre para que as pessoas possam se movimentar

Descrição: Dividir em grupos de três pessoas lembre-se que deverá sobrar um. Cada grupo terá 2 paredes e 1 morador. As paredes deverão ficar de frente uma para a outra e dar as mãos (como no túnel), o morador deverá ficar entre as duas paredes. A pessoa que sobrar deverá gritar uma das três opções abaixo:

MORADOR!!! – Todos os moradores trocam de “paredes”, devem sair de uma “casa” e ir para a outra. As paredes devem ficar no mesmo lugar e a pessoa do meio deve tentar entrar em alguma “casa”, fazendo sobrar outra pessoa.

PAREDE!!! – Dessa vez só as paredes trocam de lugar, os moradores ficam parados. Obs.: As paredes devem trocar os pares. Assim como no anterior, a pessoa do meio tenta tomar o lugar de alguém.

TERREMOTO!!! – Todos trocam de lugar, quem era parede pode virar morador e vice-versa. Obs.: NUNCA dois moradores poderão ocupar a mesma casa, assim como uma casa também não pode ficar sem morador. Repetir isso até cansar…

Conclusão: Como se sentiram os que ficaram sem casa? Os que tinham casa pensaram em dar o lugar ao que estava no meio? Passar isso para a nossa vida: Nos sentimos excluídos no grupo?Na Escola? No Trabalho? Na Sociedade? Sugestão: Quanto menor o espaço melhor fica a dinâmica, já que isso propicia várias trombadas. É muito divertido!!!

Palavra de Deus:

1 – AQUELE que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará. Salmos 91:1

 

  1. Troca de um segredo

Participantes: 15 a 30 pessoas.

Tempo Estimado: 45 minutos.

Material: Lápis e papel para os integrantes.

Descrição: O coordenador distribui um pedaço de papel e um lápis para cada integrante que deverá escrever algum problema, angústia ou dificuldade por que está passando e não consegue expressar oralmente. Deve-se recomendar que os papéis não sejam identificados a não ser que o integrante assim desejar. Os papéis devem ser dobrados de modo semelhante e colocados em um recipiente no centro do grupo. O coordenador distribui os papéis aleatoriamente entre os integrantes. Neste ponto, cada integrante deve analisar o problema recebido como se fosse seu e procurar definir qual seria a sua solução para o mesmo. Após certo intervalo de tempo, definido pelo coordenador, cada integrante deve explicar para o grupo em primeira pessoa o problema recebido e solução que seria utilizada para o mesmo. Esta etapa deve ser realizada com bastante seriedade não sendo admitidos quaisquer comentários ou perguntas. Em seguida é aberto o debate com relação aos problemas colocados e as soluções apresentadas.

Possíveis questionamentos:

Como você se sentiu ao descrever o problema?

Como se sentiu ao explicar o problema de um outro?

Como se sentiu quando o seu problema foi relatado por outro?

No seu entender, o outro compreendeu seu problema?

Conseguiu por-se na sua situação?

Você sentiu que compreendeu o problema da outra pessoa?

Como você se sentiu em relação aos outros membros do grupo?

Mudaram seus sentimentos em relação aos outros, como conseqüência  da dinâmica?

Palavra de Deus:

15 – Alegrai-vos com os que se alegram; e chorai com os que choram; Romanos 12:15

Pr. Julio Fonseca é o autor de 327 artigos

olá, sou o Pastor Júlio Fonseca, aqui você encontrará uma parte das dinâmicas que venho colecionando a cerca de 10 anos. Espero que encontre o que procura. Sinta-se em casa!

Deixe uma réplica

seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

Você pode usar esses HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>