Renascendo o grupo

Home » Dinâmicas para Jovens » Renascendo o grupo
Dinâmicas para Jovens Nenhum comentário

RENASCIMENTO

(Da Crisálida a Borboleta)

1. MATERIAIS: não há (variação: pode-se utilizar tules ou similares para a construção do casulo e, posteriormente, das asas).

2. INSTRUÇÕES:

a. cada participante deita-se no chão, de forma confortável e de olhos fechados;

b. após um breve aquecimento, deve imaginar que esta dentro de um casulo (cor, tamanho, textura, temperatura, forma etc.), explorando-o ao máximo;

c. as estações do ano passam e, aos poucos, cada um vai percebendo que está se transformando numa linda borboleta (v, tamanho, asas etc.) dentro do casulo;

d. no momento exato, começa a romper o casulo, pois a transformação está completa;

Nota: Ao sair do casulo, devem abrir os olhos, para verificar sua transformação (cor das asas, forma etc.).

e. ao sair do casulo, percebe que está com fome (ainda não percebe os outros) e o alimento encontra-se à sua disposição;

f. aos poucos, percebe o ambiente que o cerca, iniciando um processo de reconhecimento da área e, em seguida, percebe os outros seres à sua volta, estabelecendo contato com eles.

Nota: deve-se respeitar o ritmo e o tempo interno de cada um. Este jogo pode ser adaptado e aplicado às três fases da matriz, propiciando deste a Identidade do Eu até o Reconhecimento do Tu.

RENASCER

(Relaxamento Indutivo)

1. MATERIAL: música: Bolero (Tavel, M.)

2. INSTRUÇÕES:

a. os participantes devem deitar-se no chão, de forma confortável, com espaço à sua volta;

b. ao comando da voz do Diretor, deverão seguir as instruções solicitadas, como segue:

“Imagine-se como matéria inerte no fundo do mar (…) Existe por água pro todos os lados (…) Sinta a água escorrendo pela sua superfície inerte (…) Enquanto a vida se desenvolve, você se transforma em algum tipo de erva ou planta marinha (…) Escute o tambor e deixe o som penetrar nos seus movimentos, enquanto as corrente o arrastam (…) Olhe à sua volta (…) Aos poucos, transformam-se em um animal simples, que se arrasta pelo fundo do mar (…) Deixe o tambor fluir através do seu corpo e dos seus movimentos, como o animal marinho (…) Agora, mova-se vagarosamente em direção à terra (…) E quando a alcançar, faça crescer quatro pernas e comece a se arrastar pela terra (…) Explore a sua existência como animal terrestre (…) Agora fique, aos poucos, ereto sobre duas pernas e explore a sua existência e seu movimentos como bípede (…) Continua-se movendo e abra os olhos e interaja com os outros, através do movimentos (…)”;

c. no final, comentar sobre a vivência, verificando que animal cada um vivenciou.

Nota: Pode ser adaptado e aplicado às três fases da Matriz

BOLA NO PAINEL

1. MATERIAIS: não há.

2. INSTRUÇÕES:

a. grupo deitado de costas no chão, confortavelmente, e de olhos fechados;

b. “imagine um imenso painel colorido tomando todo o seu campo de visão (…) Aos poucos, surgi nesse painel um pequenino ponto, como uma cabeça de alfinete, que vai aumentando de tamanho, lentamente (…) Você percebe sua aproximação e, gradativamente transforma-se numa bola colorida (…) Ela aumenta de tamanho e se aproxima cada vez mais (…) Torna-se uma bola imensa, que toca numa parte de seu corpo e arrebenta, saindo dela um liquido colorido. Esse liquido começa a colorir todo o corpo, lentamente (…) Aos poucos, o liquido vai escorrendo pelo chão e desaparece, deixando uma agradável sensação em seu corpo. Experimente-a (…) Vagarosamente você vai despertando seu corpo, apalpando-o através das mãos (…), espreguiçando-se (…) e, finalmente, abrindo os olhos;

c. comentários.

BOLA IMAGINÁRIA

1. MATERIAIS: não há

2. INSTRUÇÕES:

a. o grupo em círculo (roda), voltado para dentro, em pé;

b. cada participante (individualmente) no “como se” brincará com uma bola que, ao comando do Diretor, mudará de forma, tamanho, cor e textura (ex.: bola de plástico, isopor, chumbo, couro, tênis, basquete etc.);

c. cada um deve “brincar” reagindo às mudanças, com a maior fidelidade possível;

d. após um determinado tempo, eliminam-se todas as bolas, criando apenas uma, para ser jogada entre todos os participantes, repetindo as mesmas consignas dadas pelo Direto;

e. comentários sobre a experiência.

Nota: este jogo pode ser aplicado às fases da matriz.

DANÇA DAS DOBRADIÇAS

1. MATERIAL: musica (ritmo marcado e de relaxamento).

2. INSTRUÇÕES:

a. o grupo fica em pé e em círculo;

b. devem “dançar” com o corpo todo, de acordo com o ritmo da musica, alternando com as consignas dadas pelo Diretor;

Consignas: dançar somente com os pés e tornozelos,

Somente com as pernas,

Somente com os quadris,

Somente com o tórax,

Somente com o pescoço e a cabeça,

Somente com os olhos e a boca (rosto).

c. no final, todos caminham pela sala e escolhem um local para se deitar e relaxar (introduzir música de relaxamento);

d. comentários.

TAG: RENASCIMENTO DO GRUPO

LEAVE A COMMENT